A massagem geriátrica e o combate ao Parkinson

As massagens vem ganhando cada vez mais notoriedade no universo da saúde e do bem-estar, agora é a vez da massagem geriátrica ter sua efetividade comprovada no combate a doença degenerativa.

Você ja ouviu falar sobre ela? Caso a resposta seja negativa, fica tranquilo(a) que nós te ajudamos.

A massagem geriátrica foi desenvolvida especialmente para idosos em casos especiais que requerem maior cuidado e assertividade nos movimentos e toques, bem como em casos de mal de Parkinson onde o paciente sente muitas dores e não consegue se comunicar com clareza.

Por mais que ainda não exista uma cura pra doença, existem muitos medicamentos antiparkinsonianos que são responsáveis por repor a dopamina do corpo, tais medicamentos aliados as massagens geriátricas tem trazido resultados extremamente satisfatórios aos olhos dos especialistas da área.

O principal objetivo dessas estratégias é reduzir ao máximo o deficit funcional ocasionado pela doença, permitindo que os portadores tenham uma vida independente e com mais saúde.

Lembrando que é muito importante procurar um profissional qualificado para que seja possível amenizar os sintomas e principalmente poder viver mais tranquilo sem a preocupação de estar deixando um problema piorar.

Comece o quanto antes, não deixe mais a sua saúde para depois.

Atenciosamente,

Equipe Mal de Parkinson


Principais sintomas da doença de Parkinson

O Mal de Parkinson é uma doença degenerativa causada na região cerebral e é responsável por causar dificuldades na fala, movimento e coordenação.

O combate a doença vem sendo cada vez mais difundido no mundo da saúde,bem-estar e medicina, mas ainda não é o suficiente.

Você sabia que aproximadamente 1% da população acima de 50 anos possui o Mal de Parkinson?

É muito raro que uma pessoa de meia idade tenha a doença,mas pode acontecer. A maior parte dos portadores é composta por idosos e os sintomas geralmente começam a partir dos 40.

Confira os 3 principais sintomas do Mal de Parkinson a seguir:

  1. Tremores: São vários fatores que podem causá-los, como stress e ansiedade, mas é importante atentar-se caso os dedos fiquem trêmulos com muita frequência.
  2. Movimentos muito lentos: Com a chegada da idade é muito comum perder um pouco de toda aquela agilidade de quando éramos jovens,mas se os seus movimentos estiverem muito lentos, talvez seja hora de procurar um especialista.
  3. Excesso de dores musculares: Se você sente muitas dores musculares, tem dificuldade para executar movimentos por mais simples que possam ser, fique atento.

Quer saber mais sobre o Mal de Parkinson?

Acesse o artigo disponibilizado pelo Hospital Albert Einsten sobre a doença.

A importância da fisioterapia no Parkinson

O tratamento do Parkinson requer paciência,dedicação e muita resiliência. Nesse post você vai conhecer a importância da fisioterapia no combate a doença.

As disfunções neurológicas causadas pelo Parkinson afetam também o movimento funcional, por isso o tratamento fisioterápico é extremamente importante para os portadores da doença.

Na maioria dos casos, o portador da doença para de se movimentar e deixa de movimentar as articulações, esse fator aliado a degeneração das células torna o problema ainda mais perigoso.

Uma das melhores opções para o tratamento é procurar um fisioterapeuta especializado:

O fisioterapeuta é um profissional que conhece quais são as necessidades especificas desses pacientes e passam a desenvolver um plano terapêutico bem estruturado que a médio e longo prazo será essencial para que se obtenha resultados satisfatórios.

O principal papel de um fisioterapeuta em um caso de Parkison é reabilitar o movimento funcional e proporcionar alivio e sensação de bem-estar ao paciente.

Por isso podemos concluir que a fisioterapia aliada a outros métodos de tratamento, podem dar uma nova perspectiva a esses pacientes que estão tão tristes e desanimados.

É hora de ajudar e se conscientizar, por mais que não haja uma cura encontrada, um tratamento adequado proporciona uma melhora de 100% na expectativa de vida de uma pessoa.

O mal de Parkinson tem cura?

O Parkinson é uma doença que há muitos anos vem sendo estudada por especialistas e o debate sobre uma possível cura se estende durante décadas.

Afinal, teria uma cura pro Parkinson?

Infelizmente, ainda não há cura para nem medicamento que amenize a doença de forma significativa, porém, graças aos avanços tecnológicos recentes, os especialistas em neurologia desenvolveram algumas outras opções terapêuticas para os portadores da doença degenerativa.

Para quem não sabe, o Parkinson é causado pela baixa oferta de dopamina no cérebro que é um importante neurotransmissor encarregado de levar informações as células nervosas.

Alguns medicamentos que estimulam a produção de dopamina e minimizam os efeitos da doença tem trazido resultado a alguns pacientes, porém, deve haver cautela no uso desacerbado de medicamentos.

Algumas opções terapêuticas para portadores de Parkinson:

  • Fisioterapia
  • Fonoterapia
  • Apoio psicológico
  • Orientação nutricional
  • Participação de atividades sociais
  • Massagens
  • Atividade Física leve

O Parkinson ainda não tem cura, mas tem um tratamento que quando realiza de forma empenhada e com acompanhamento médico especializado, pode dar um novo sentido a vida das pessoas.

São diversos casos documentados de pacientes que apresentaram uma melhora em tempo recorde com a combinação de tratamentos terapêuticos variados.

Vale a pena usar toda a criatividade.